Tags

Você sabe o que é “Fine Art”?

 

Esse termo “Fines Arts” é um daqueles que muita gente usa sem saber ao certo o porquê, apenas por achar “chique”, e isso acaba gerando uma baita confusão.

 

Retrato de Retrato de D. João VI

Schwarzes Quadrat

Originalmente o termo “Fines Arts” foi cunhado para diferenciar produções puramente artísticas de outras feitas com algum intuito (seja comercial, memorial, etc). Algo feito unicamente pelo seu valor estético e sem qualquer utilidade prática pode ser considerado “Fine Art”, enquanto que algo com uma função prática, não.

 

Por exemplo: um retrato de Dom João VI feito sob encomenda com o intuito de identificar e registrar a imagem do governante para o povo e para as gerações futuras não pode ser considerado como pertencente às “Fines Arts”, mesmo que tenha sido feito por um excelente pintor com a mais refinada técnica e o mais apurado senso estético.

 

Em contrapartida, um simples quadrado preto pintado em uma tela pode se adequar perfeitamente ao conceito, como a obra de Kasimir Malevich, pois o termo “Fines Arts” não tinha qualquer relação com o requinte da técnica, apenas designava obras feitas pelo simples impulso artístico.

 

La Grotte

Na fotografia, tanto contemporânea quanto no seu surgimento, o termo deve ser aplicado da mesma forma, referindo-se à fotografia feita puramente por impulso artístico e estético em oposição à fotografia feita com objetivo documental ou publicitário. Curiosamente uma análise das fotos publicadas nos “Flickrs” e afins nos leva a crer que a maioria das pessoas acha que, para uma fotografia ser “Fine Art”, ela precisa ter uma mulher nua numa floresta, lago ou pedreira. :)

 

Isso, na verdade, é conseqüência do termo “Fine Art Nude” que surgiu para diferenciar fotos de nu comercial (estilo revista masculina) de fotos artísticas, onde o corpo nu é apenas um elemento estético. A imagem da “mulher nua na rocha” é antiga, muitos pintores renascentistas já pintavam essas cenas e fotógrafos mais recentes apenas “ecoam” essa estética que sempre fornece um interessante contraste de formas e tons e possui uma característica de atemporalidade. Mas a fotografia de “Fine Art Nude” não é apenas isso e, principalmente, a fotografia “Fine Art” não é apenas “Fine Art Nude”.

 

Mas vamos voltar no tempo para continuar falando sobre a origem e as aplicações do termo “Fine Art”.

 

Par de Amantes

Ao atingir a área da impressão e das gravuras o termo ganhou uma nova conotação, ligeiramente diferente. Como muitos artistas não queriam se envolver no processo de reprodução por gravuras, por desinteresse ou por falta de tempo e recursos, mas desejavam que suas obras fossem reproduzidas, passaram a recorrer a “experts” nos processos de reprodução de arte por processos de xilogravura, encavo, litografia, etc. Esses “experts” diferenciavam-se dos demais profissionais de impressão por serem especializados na produção de obras de arte e não simples profissionais da impressão cotidiana (de livros, estamparias, etc). Possuíam domínio de suas técnicas, mas também a base artística e o olho clínico necessários para lidar com a reprodução da visão artística de outros. Esse foi o nascimento da impressão “Fine Art”.

 

No campo da ampliação fotográfica o termo voltou a ser usado nas últimas décadas do século passado para se diferenciar o trabalho de revelação e ampliação manual, feito por especialistas, dos processos automatizados dos laboratórios expressos.

 

Falarei mais sobre ampliação “Fine Art” e impressão “Fine Art” num próximo texto. Espero ter ajudado a esclarecer um pouco a confusão sobre esse assunto.

 

Abraços.

26 comments to Você sabe o que é “Fine Art”?

  • Jorge

    Gostei do texto Geraldo, deu um gostinho de quero mais, porque ainda nao conseguiria definir uma fotografia Fine Art. Ate onde compreendi de seu texto, o essencial e ter o ‘impulso artistico’.

    Segundo wiki, na fotografia nao pode ser jornalistica ou comercial. Cida ainda Ansel Adams como um exemplo em sua foto de Yosemite na capa do livro ‘The Camera’. Contudo penso, se aquela foto estivesse em um panfleto de agencia de turismo fazendo propaganda do pacote para Yosemite, se ainda a foto poderia ser considerada Fine Art. Aquela formacao rochosa se consagrou por ser em Yosemite, pessoas querem ir la para apreciar aquela cena. Ou seja, fine art pode ser definido por onde foi publicada a foto, ou por onde ela poderia ser publicada? Por sua vez, no livro ‘The Negative’, ha um padrao formado por ondulacoes na areia, que poderia ser encontrada em um deserto qualquer em uma praia qualquer, em um local ‘nao identificavel’. O belo, e a visao artistica do fotografo foi observar os padroes formados na areia. Fico mais em duvida que ao contrario de Yosemite, se alguem teria um impulso de visitar um deserto ou praia para poder apreciar aquele padrao na areia, ou que o quadrado representado por Kasimir Malevich impulsionaria alguem comercialmente. Ou seja, pessoas nao ficaram com vontade de comprar um quadrado, ou de ir a praia para ver areia observando tais imagens.

    Por fim, a imagem de um chocolate poderiamos dizer que tem ou poderia ter um cunho comercial. Por sua vez, um chocolate derretido no asfalto, eventualmente pisado. Capturado pelo ‘senso artistico’ do fotografo e fine art? Ou e non sense? Em outras palavras, dizer que nao pode ser jornalistica ou comercial e muito amplo. A proposito, fotografias artisticas, por que nao sao consideradas apenas ‘art’, por que ‘fine art’? ‘Fine art’ e melhor que ‘art’?

    Abracos!

    • Geraldo Garcia

      Obrigado Jorge.

      Eu acho que a definição obviamente não é perfeita, mas faz algum sentido. A palavra “Arte” é originada do latim “ARS” que significa “técnica”. Por isso existe uma confusão natural quando queremos definir o que é uma obra de arte: Como poderíamos dizer que o trabalho brilhante, minucioso e técnico de um carpinteiro não é “arte” se a própria origem da palavra é baseada na “técnica”? Mas seria correto olharmos o trabalho do carpinteiro (que é norteado por uma função prática) com os mesmos olhos que olhamos o trabalho de um escultor (que é norteado apenas por sua visão artística)?

      Acho que, dentro dessa ótica, o que importa é a intenção do autor. Se uma obra é feita sem o propósito documental ou publicitário (por exemplo) e, após sua criação, passa a ser usada com um desses fins, não creio que ela deixe de ser “fine art”.

      Mas esse debate é infinito… Nenhum “rótulo” é totalmente correto e nunca vai ser, mas precisamos deles para balizar nosso aprendizado. Depois de entendidos e assimilados devemos, realmente, transcendê-los.

      Abraços.

      • GLIS J. DE SOUZA

        Sobre o fato de impressão fine-art, o que vc poderia me dizer, estou fazendo um trabalho e o professor pediu para pesquisa sobre este foco e esta dificil achar material, tem como me ajudar?
        Att

        Glis

  • Geraldo,

    Engraçado como o uso baseado na idéia de elevar uma fotografia ou série a categoria de “cool”, evidencia a falta de conhecimento de quem faz este uso.

    Abs

  • Marco Aurélio

    Depois da longa discussão sobre monitores… mudei de post. :P
    Tá aí uma discussão que estudo muito na minha pós graduação (artes visuais). Vou repassar o link do blog pro pessoal. Abraço.

  • Muito bom, Geraldo! Obrigada!
    Bjs

  • Jorge

    Ola Geraldo, sou eu novamente te importunando, e aumentando o ‘grau de infinitude’ a este tema.

    Ca estou neste ensolarado sabado, e lembrei-me de seu blog. Fiz uma nova visita e isto me fez lembrar 2 coisas:

    1) Certa vez discutia a fe de um amigo. Aquele mesmo papo de sempre em que se diz: ‘Prove que Deus existe!’ e a resposta dele foi: ‘Prove que Deus nao existe!’. Naturalmente e mais facil provar algo que existe bastando mostrar fisicamente, ou consistentes e fortes evidencias de seu efeito. Como mostrar o campo magnetico de um ima, voce nao ve, mas observa a acao dele facilmente. Contudo ainda dizer que Fine Art e ‘qualquer coisa’ que nao seja comercial ou jornalistico, e para mim tao concreto quanto provar que Deus nao existe. Ou seja, normalmente partimos por uma outra metodologia, ou seja, caracterizando Deus, ou caracterizando Fine Art, e nao o que ele nao e.

    2) Partindo para um paralelo artistico para facilitar, lembro-me das aulas de portugues, em que haviam pequenos trechos que liamos, e tinhamos que responder se aquele texto era do estilo ‘barroco’ ou ‘arcadismo’, ou sejam, eles tem caracteristicas definidas. Nao se baseia por eliminatoria do tipo: Bom, se o texto nao se caracteriza pelo arcadismo, entao so pode ser barroco, ou vice-versa. Isto sim e um ‘rotulo mais preciso’.

    Quero dizer, deve haver, precisa ter, e gostaria de ver uma definicao mais precisa do que Fine Art e, e nao das infinitas possibilidades do que ele nao e, acho que agora me fiz mais claro! :)

    Supondo ainda Geraldo, se alguem acordasse de manha, e enquanto se espreguissa pensar: ‘Hmmmmm… Hoje acordei inspirado! Vou fazer uma foto Fine Art’. Se fosse voce, tiraria foto do que? (Nao vale o exemplo do chocolate derretido no chao! :) )

    E mais, quem diz que a foto e Fine Art, voce ou um curador? Como voce disse acima, o que importa e a intencao do autor. Ser ou nao, pode ser objeto de disputa? Por exemplo, se houver uma mostra Fine Art, e voce quiser submeter o trabalho, que julgamento se faria? Seria consensual? Porque nao da para mandar um texto barroco em uma mostra arcadista.

    Abracos!

    • Geraldo Garcia

      É isso mesmo Jorge, “Fine Art” é um rótulo e, como qualquer rótulo, falha quase tanto quanto acerta.
      E não devemos encar um “estilo” (como cubismo, impressionismo, etc.), pois uma obra “maneirista” (por exemplo) pode ser “Fine Art” enquanto que outra não, mesmo sendo do mesmo autor e feita com a mesma técnica. Quando estamos falando de obras de arte, ser “Fine Art” ou não depende apenas do objetivo que levou a criação da obra.
      E isso que estou dizendo é referente apenas ao conceito que gerou a criação do termo, hoje em dia ele é usado em muitas outras situações e quem sou eu para dizer se está certo ou errado. :)
      Termos como “Fine Art Printing”, por exemplo, possuem um significado próprio (por sinal, meu próximo texto será todo dedicado ao maravilhoso universo da Impressão Fine art).
      De qualquer forma eu não gosto muito de rótulos para arte, só criei esse texto porque vivem me perguntando o que é “Fine Art” e achei que seria bom jogar uma luz quanto à origem do termo.
      Grande abraço.

  • olá Geraldo garcia aprecio muito seu blog, e gostaria muito de ter a oportunidade de obter a planilha de custas! é possivel?
    Atenciosamente
    Felipe Roehe

  • Tirou muitas dúvidas que eu tinha. Obrigado!!
    Abraço
    Fabiano

  • e aí meu caro, imprimindo muito fine art?! :-)
    Larga essa impressora e volta pro blog!! hehe

  • geraldo, esse negocio de fineart ta longe da galera saber o que é pelo que to vendo, a maioria dos anuncios de fineart(istas) que tem pela internet são de gente que manipula fotos no photoshop poe efeitos e coisa e tal…bom texto e boa aula como sempre.
    abraço ai geraldo se cuida.
    boa semana.

    • Felipe Paiola

      Boa Tarde a todos,

      Fineart no Brasil ainda é um Bebe, uma coisa nova para muito porem com grandes figuras que domina, né Geraldo
      Acredito muito nesse novo mercado que está vindo com novas ideias, mas o importante e sempre manter o foco disso e cumprir com padrões de qualidade.
      Sempre usar papéis de qualidade não aqueles que tem nome Fineart, porem está longe do mínimo.
      A explicação está perfeita do nosso amigo Geraldo, deixo um abraço e sucesso a todos.

  • Parabéns Geraldo… Mto bom o post, agora sim eu descobri o que é fine Art e suas origens… Excelente POst… abs

  • [...] surgiu a oportunidade de trabalharmos juntos em um shoot de moda. O Marcelo tem um trabalho em Fine Art extremamente incrível, lindo, poético, marginal e desafiador e que por motivos pessoais ele, [...]

  • Geraldo, gostei muito do seu texto. Passei o link para a equipe e usei num treinamento interno. Por favor não considere “pirataria”… É que você foi muito mais claro e objetivo do que eu estava sendo. Grande abraço

  • Adorei esse post, não conhecia o termo Fine Art. Mas já me vi em muitos debates (inuteis até) com gente sem noção, e este tipo de definição separando arte pura de arte conveniente salva vidas numa roda de cerveja.

    To linkando este blog no meu, espero q nao se sinta mal representado

  • Gostei Geraldo,
    muito bom o texto,
    precisamos realmente cada vez mais esclarecer e informar sobre a confusão de nomes e termos técnicos que hoje em dia todos vem usando e banalizando, como se fosse uma questão de charme e marketing usar para se promover, sem nem ter conhecimento do que realmente é.
    Abraços
    AYRTON

  • [...] This post was mentioned on Twitter by Thiago Motta, Daniela Bado, Tacio Philip, mônica canejo, Blog de Casamento and others. Blog de Casamento said: RT @marinalomar: RT @Geraldo_Garcia: Você sabe o que é "Fine Art"? http://bit.ly/eIsAq1 [...]

  • Legal mesmo Geraldo!
    Deu-me uma boa elucidada sobre o assunto. Quando estava na faculdade, devo ter ouvido falar sobre o assunto e esquecido com o tempo.
    Agora há pouco, visitando um site de divulgação de fotógrafos, vi este termo já pela enésima vez e como nunca apliquei a mim mesmo, permaneci na dúvida. Recorri então ao Google e me deparei com o seu texto.
    Voltarei a procurá-lo em outras circunstâncias.
    Abraço.

  • Excelente e elucidativo post, sobre a confusão sobre o termo Fine Art.
    Como sugestão para um próximo post, sugiro indicações e dicas para quem estava começando no ramo, e quer fazer da fotogarfia Fine Art algo maior em sua carreira.

    Abs,

Deixe uma resposta

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>