Fotografia como arte e a arte como ganha-pão

Foto: Geraldo Garcia

É muito gratificante presenciar e participar desse processo de ebulição da fotografia como arte. Percebemos que o objetivo dos fotógrafos não é mais o mero reconhecimento e a aceitação da fotografia como obra de arte, pois isso já é fato consumado. Também é evidente a preferência cada vez maior dos compradores de arte por fotografias, no lugar de opções mais tradicionais como pinturas e desenhos.

Muitos fotógrafos estão encantados com essa possibilidade de ganhar dinheiro com sua arte e talvez viver disso, mas as galerias não têm como dar conta desse volume crescente. Se considerarmos os preços praticados em galerias e leilões algo que não é novidade fica evidente: Comprar arte é para classe “AA” ou “A”.

Com isso surge um gargalo no mercado:

Foto: Geraldo Garcia
  1. Muitos fotógrafos produzem e querem comercializar suas obras.
     
  2. As galerias possuem uma capacidade limitada de comercialização e precisam optar por trabalhar com obras de valores mais elevados para conseguirem obter seu sustento.
     
  3. Os preços altos restringem o público comprador às classes mais abastadas (“A” e “AA”).
     
  4. A classe “B”, que é enorme, segue os passos e quer consumir mas fica sem opção.  

Isso significa que existe mercado comprador, mas dificilmente a estrutura tradicional de comércio por galerias de arte e leilões dará conta.

A questão em pauta, ao meu ver, é a criação de canais de distribuição apropriados para que os fotógrafos consigam comercializar suas obras de forma a atingir a classe “média”. Quem trabalha ou quer trabalhar nessa área deve pensar bastante nisso.

Em tempo¹:
A revista Fhox desse mês (outubro) traz uma interessante matéria sobre o mercado de fotografia de arte no Brasil com a visão de fotógrafos, impressores, galeristas e outros profissionais ligados à área, eu fui um dos entrevistados.

Em tempo²:
A Fototech, por meio de sua regional de Minas Gerais, está promovendo um evento chamado “A Fotografia e o Mercado das Artes”, um ciclo de palestras de um dia que acontecerá em 01 de dezembro de 2010 em Belo Horizonte com algumas das maiores autoridades nacionais sobre o assunto. Simplesmente imperdível! Eu vou do Rio para BH só para participar. Mais informações e inscrições no site da Fototech

Até a próxima.

Deixe uma resposta para Alex Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

28 pensamentos em “Fotografia como arte e a arte como ganha-pão”