Avaliação do monitor Dell U2211H: Será que vale a pena?


Introdução:

Já faz um ano e meio desde que publiquei a avaliação do monitor Dell 2209WA. Neste meio tempo muita coisa aconteceu e recentemente este excelente monitor parou de ser fabricado. Para substituí-lo a Dell lançou dois monitores U2211H (de 21,5”) e U2311H (de 23”). Estes monitores, juntamente com os já lançados U2410, U2711 e U3011, compõem a linha “ Ultrasharp” do fabricate: Monitores de alta performance, com painel IPS*, próprios para tratamento de imagem.

*Para saber mais sobre os tipos existentes de painel e sobre as vantagens dos painéis IPS leia o início da avaliação do 2209WA.

Logo após o lançamento muita dúvida surgiu sobre se os dois novos monitores teriam capacidade de igualar ou superar a performance do aclamado 2209WA. O modelo de 23 polegadas rapidamente caiu no gosto dos clientes, mas o U2211H ficou meio que esquecido. Os motivos disso provavelmente são o fato dos dois modelos terem preços relativamente próximos, o que faz com que muitos prefiram o modelo de 23 polegadas, e também alguns “reviews” esquisitos (com pinta de equivocados) feitos sobre o U2211H.

Recentemente a Dell entrou em contato comigo e perguntou se eu não gostaria de receber alguns modelos de monitor emprestados para testes, começando pelo U2211H. Antes que eu dissesse qualquer coisa eles fizeram questão de ressaltar que eu não teria qualquer compromisso de elogiar, podendo ser totalmente sincero. Nestes termos eu aceitei.

 

Primeiras Impressões:


Quando o entregador deixou a caixa meu primeiro pensamento foi: “Será que mandaram o monitor certo? Essa caixa é tão pequena!” Mas bastou olhar a etiqueta e ver que estava tudo certo. Curiosamente o único lugar onde o nome do modelo aparece é na minúscula etiqueta traseira que fica parcialmente escondida pelo pedestal.


A montagem não tem mistério, em menos de 5min o monitor já estava sobre a bancada e conectado ao computador pelo cabo DVI. Meu segundo pensamento foi: “Ele é pequeno… e é wide MESMO!” Principalmente se colocado ao lando de um monitor de 24″.

Vale ressaltar que estou acostumado a monitores de 24” e de 22” e estava preparado para que o U2211H, com suas 21,5”, fosse apenas um pouco menor que o 2209WA, mas ele parece ser bem menor por conta da sua proporção 16×9. A largura é praticamente a mesma, mas a altura do painel é uns 10% menor. Em compensação a resolução é bem maior: 1920x1080px contra 1680x1050px do modelo antigo.

O design do monitor não tem novidades para quem conhece a linha Ultrasharp da Dell, desenho discreto e eficiente, todo em preto e cinza, com base rotatória, variação de altura, báscula e pivotamento de 90 graus. Tudo simples e fácil.

     

Como gosto da bancada de trabalho numa altura um pouco mais baixa (70cm), precisei colocar o monitor sobre uma base de apoio de uns 12cm para conseguir alinhar sua borda superior com os meus olhos (posição ergonômica recomendada). Apoiado diretamente na bancada, mesmo na altura máxima, eu era forçado a olhar para baixo.   

Os controles são simples e extremamente intuitivos, a luz de “ligado” tem o mesmo tom azul neon do modelo anterior, que eu acho um pouco chamativo.

 

Conexões:


O U2211H possui uma entrada VGA, uma DVI-D, uma DisplayPort. Como já é padrão na linha, possui também um “Hub USB” com uma entrada (para ser ligada ao computador) e quatro saídas, sendo duas na lateral esquerda e duas na parte inferior traseira. Infelizmente não possui entrada HDMI, o que seria interessante para sua tela “Full HD”.

O monitor vem com um cabo de força, um cabo DVI e um cabo VGA. Para especificações técnicas detalhadas, veja o site do fabricante.

 

Qualidade de imagem e fidelidade de cor:

Vamos ao que interessa!

Como o U2211H possui mais pixels que o antecessor, “espremidos” em uma tela ligeiramente menor, a aparência de nitidez é ainda melhor.

Por se tratar de um painel IPS (e-IPS) esperamos ângulos de visão excelentes, mas aí aconteceu uma pequena surpresa. Curiosamente o comportamento desse monitor é um pouco diferente dos outros monitores desse tipo, inclusive do 2209WA, apresentando uma variação de luminosidade razoavelmente pronunciada quando o olhamos em ângulos mais fechados.

Não… ele não distorce as cores como os painéis TN e não “lava” a imagem como os painéis PVA quando olhamos em ângulo. A imagem apenas escurece, lembrando um pouco o efeito daquelas películas que barram a visão lateral em caixas eletrônicos, mas de forma muito mais suave.

Não chega a ser um problema, pois isso só acontece em ângulos bem fechados, mas como é uma “novidade” e algo difícil de explicar, fiz o vídeo abaixo para ilustrar.

Nenhum monitor pode ser avaliado com relação à sua fidelidade de cor e “gamut” antes de ser calibrado e caracterizado por hardware, mas como muitos usuários não possuem colorímetros ou espectrofotômetros resolvi fazer uma comparação do monitor antes de calibrar e após ser calibrado.

Antes de calibrar, configurações de fábrica:

No painel da esquerda o triângulo preto dentro da vela de cores representa as cores que o monitor consegue reproduzir e o triângulo laranja representa o espaço de cor sRGB.

No gráfico do painel da direita as barras representam o “Delta-E” para cada cor, a diferença entre as cores que o computador manda o monitor exibir e as cores que ele de fato exibe. Quanto menores os valores de “Delta-E”, mais fiel é o monitor. Convenciona-se que monitores para tratamento de imagem devem ter Delta-E médio abaixo de 1 e valores individuais não excedendo 1,5 após calibrados.

Após calibração:

Um resultado excelente! Delta-E médio de 0,4 e pico individual de 0,9 é um resultado equivalente ao que se espera dos melhores monitores.

O Gamut não variou muito, continuando quase cravado no sRGB. Suspeito que com calibrações repetidas e minuciosas seja possível jogar o Delta-E médio para 0,3 e cravar o gamut no sRGB (coisa para obsessivos e sem ganho visível) .

Submetendo o monitor aos testes de certificação da UGRA (órgão europeu de pesquisa e padronização da indústria gráfica) obtemos o seguinte resultado:

Ou seja, o monitor é considerado apropriado para visualização de provas digitais nos espaços de cor sRGB, ISOcoated, ISOuncoated e ISOnewspaper. Por conta de seu espaço de cor relativamente pequeno ele não é apropriado para visualização de provas digitais nos espaços AdobeRGB, ECI-RGB e multicolor, pois imagens nesses espaços podem conter cores que o monitor não consegue exibir.

 

Vazamento de luz:

Para quem não sabe, a retroiluminação dos painéis LCD está sempre acesa quando eles estão ligados. Quando vemos uma imagem toda preta a luz continua acesa, apenas está sendo bloqueada pelos pixels pretos. Infelizmente nada é perfeito e os monitores sempre apresentam algum vazamento de luz, mínimo e imperceptível em alguns equipamentos e ridiculamente evidente em outros.

Para testar isso temos que colocar uma imagem totalmente preta ocupando toda a tela do monitor e apagar a luz. A imagem abaixo reproduz fielmente o que vi a olho nu:

Existe algum vazamento sim, mas não chega a ser brutal. O maior problema está próximo das bordas superiores, mas mesmo lá o vazamento não é perceptível em ambiente a “meia luz”, apenas no escuro e com imagem preta na tela. Se for uma imagem normal, com vários tons, o vazamento não é perceptível.

Fazendo uma comparação injusta, meu monitor de trabalho (um LaCie de 24” que custa mais de 15 vezes o preço do U2211H) apresenta menos vazamento e pretos mais densos num ambiente a meia luz:

   

 

Ponderações:

Ao contrário do que alguns “reviews” iniciais disseram, o U2211H é um monitor totalmente competente e com excelente fidelidade de cor.

A tela na proporção 16×9 gerou reações diversas. Eu confesso que não gostei muito, achei que fica um pouco estreito num monitor desse tamanho. Por outro lado algumas pessoas adoraram e disseram que fica “leve” e “elegante”. Questão de gosto.

A questão do ângulo de visão também não chega a ser problema, assim como o vazamento de luz. Essas duas características dificilmente vão causar algum incômodo num uso normal.

Custando algo próximo de R$800,00 e podendo ser parcelado em várias vezes, O U2211H possui uma excelente relação custo-benefício. O maior “inimigo” de venda do U2211H é seu irmão U2311H, que possui 1,5 polegadas de diagonal de tela a mais e custa por volta de R$900,00. Mas… o que ninguém leva em conta é que a Dell pede 45 dias para entregar o U2311H e apenas 15 dias para entregar o U2211H, pois desse eles tem estoque no Brasil. Para quem não quiser ou não puder esperar, o U2211H é uma excelente pedida.

Agora estou aguardando ansiosamente o recebimento do U2311H e do U2410 para testar, principalmente na questão do ângulo de visão. Quero ver se esse efeito é uma característica apenas do U2211H ou de todos os novos painéis e-IPS.

Até a próxima.

Obs1: Por algum motivo que escapa a minha compreensão a Dell deseja promover a venda desse monitor e do U2311H mas não os inclui no site para compra on-line. Para comprá-los você deve telefonar para o 0800 da dell (e esperar muito) ou fazer a compra via chat entrando pelo site da dell do Brasil: www.dell.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

85 pensamentos em “Avaliação do monitor Dell U2211H: Será que vale a pena?”